A Léo Bahia Arte Contemporânea nasce em Belo Horizonte, mas sua primeira exposição foi uma coletiva na 1º SP ARTE em 2002, na OCA, no Parque do Ibirapuera em São Paulo.

A partir daí realiza uma série de exposições individuais (Guilherme Machado, em 2002; Efrain Almeida, em 2003; Marília Giannetti, em 2004; Cinthia&Marilá - coletivo das artistas Cinthia Marcelle e Marilá Dardot, em 2004; Marta Neves, 2m 2004; Maria Helena Andrés, em 2005; Lays Myrrha, em 2005) além de diversas coletivas apresentando sempre artistas consagrados e novos nomes da cena das artes visuais brasileiras e internancionais.

Participa de diversas feiras: SP ARTE, ARCO (Madrid/Espanha), Lisboa/Portugal, Nova York e Miami/USA, Londres/Inglaterra e Basel/Suíça. 

Em 2010 suspende suas atividades pois seus proprietário é convidado a ocupar diversos cargos da Secretaria Estadual de Cultura de Minas Gerais - Gerente de Artes Visuais da Fundação Clóvis Salgado-Palácio das Artes, Superintendente

Galeria-1._site.jpg

de Museus do Estado de Minas Gerais, Secretário Executivo do Circuito Cultural da Praça da Libertade, Chefe de Gabinete da Secretária de Cultura do Estado de Minas Gerais.

Em 2018, após uma assessoria de 3 anos à Secretaria de Cultura do Espírito Santo, funda a Galeria Casa Tutti, a convite da artista Kyria Oliveira. Abre suas portas com a exposição Improvável, reunindo obras de Portinari, Di Cavalcanti, Guignard, Amilcar de Castro, Franz Weissmann, Vick Muniz, Waltércio Caldas e Gabriela Machado.

Em 2019 renasce a Léo Bahia Arte Contemporâneacom a mesma proposta anterior de apresentar artistas consagrados e novos expoentes das artes viausis brasileiras e retoma seu nome anterior - renasce em VItória a Léo Bahia Arte Contemporânea.